carnaval 2017

Mocidade vai reivindicar título de campeã do carnaval 2017

POR ALEXANDRE ALCÂNTARA
Foto/Reprodução: mocidadeindependente.com.br
A Mocidade Independente de Padre Miguel reuniu a imprensa na tarde desta quinta (23), e apresentou as ações que serão empregadas para requerer o título de campeã do carnaval 2017. Confira abaixo as principais medidas adotadas pela agremiação:


Recurso administrativo no prazo de 48 horas após a divulgação das justificativas. De acordo com o estatuto da LIESA, o recurso é permitido, embora não conste no regulamento do carnaval 2017.
A Mocidade destacou que não tem o objetivo de retirar o título da co-irmã Portela, mas sugeriu a divisão do campeonato entre as duas agremiações.
A LIESA terá 30 dias para realizar uma plenária e solucionar o caso.

A confusão por conta da atualização do livro abre alas, vem causando mal estar entre a LIESA e a verde e branca, que perdeu o campeonato por um décimo descontado no quesito enredo pelo jurado Valmir Aleixo, que acabou penalizando a escola por não apresentar o destaque “Esplendor dos 7 Mares”.

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) explicou que foram entregues aos julgadores duas versões do livro. A primeira, enviada em 11 de janeiro, apresentava Camila Silva como destaque de chão, à frente do quarto carro, com a fantasia descrita por Aleixo. Pouco tempo antes da apresentação no Sambódromo, Camila foi escolhida para vir à frente da bateria e o destaque foi retirado da nova versão do roteiro do desfile, do dia 31 de janeiro.

A Liesa afirmou, em nota, que a versão final do desfile da Mocidade só chegou à Liga após a realização da primeira etapa do curso de julgadores, o que pode ter causado toda a confusão. 


Leia na íntegra a nota da LIESA

Com relação às matérias relacionadas com a publicação dos mapas de notas e justificativas do Grupo Especial do carnaval 2017, a Liesa esclarece que:# em 11 de janeiro a Mocidade Independente de Padre Miguel enviou uma versão do livro Abre-Alas na qual cita a presença da destaque Camila Silva, descrevendo sua fantasia como “O esplendor dos sete mares”;

Em 31 de janeiro, data da realização do curso de julgadores para o quesito Enredo, os julgadores receberam esta versão impressa em preto e branco, bem como a digital colorida, para poder nortear e iniciar seu trabalho de pesquisa visando o julgamento a ser realizado por ocasião dos desfiles, conforme vem ocorrendo todos os anos;

Posteriormente, em uma segunda versão, a Mocidade Independente de Padre Miguel alterou o roteiro enviado inicialmente; na nova versão, Camila Silva já vem citada como rainha de bateria, com o figurino “Dona das Areias, Yemanjá”;

Como a versão final da Mocidade só chegou à Liesa após a realização da primeira etapa do curso de julgadores, pode ter havido uma falha de comunicação ocasionando a avaliação, pelo julgador, através de sua versão inicial, deixando de considerar o livro impresso entregue pela Liesa no dia do desfile;
Neste caso, analisando as justificativas do julgador Valmir Aleixo, depreende-se que o referido julgador utilizou a versão anterior, recebida no dia do curso de julgadores, com suas observações iniciais sobre o enredo de cada escola de samba.




Sobre Portal do Samba

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.