DIEGO E NATÁLIA QUEREM FAZER HISTÓRIA COMO PRIMEIRO CASAL DA VILA ISABEL


FOTO: DIEGO MENDES 
Ser segundo casal de uma escola de samba é conviver com uma espera que, muitas vezes, pode ser longa em busca do posto de primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira de uma agremiação. Quando a oportunidade chega, é hora de agarrar com unhas e dentes a chance e se eternizar na história da agremiação. O roteiro serve perfeitamente para Diego Machado e Natália Pereira, que em 2015 formarão a dupla responsável por defender o glorioso pavilhão da Unidos de Vila Isabel.

A história de ambos até alcançar o estágio atual não foi nada fácil. Vencedores num concurso para definir o segundo casal da escola em 2010, eles tiveram que ser convencidos a entrar na competição, já que por diferentes motivos não queriam participar.

- Havia sido primeiro mestre-sala do Império Serrano em 2008, com apenas 17 anos, e por uma questão de ego não queria me inscrever. Achava que não deveria mais fazer concursos. Já tinha sido primeiro mestre-sala, mas ouvi alguns conselhos e deixei a vaidade de lado. O curioso é que fomos os últimos a nos inscrever e nem chegamos a dançar juntos durante o concurso, mas acabamos ganhando – revela Diego, que em 2007 desfilou no Arranco do Engenho de Dentro e, já ao lado de Natália, foi primeiro mestre-sala da Tradição e Cubango, em 2013 e 2014.

- Achava que não tinha preparo para dançar na Vila Isabel. Havia apenas dançado na Flor da Mina do Andaraí. Fiquei lá alguns anos, mas não o suficiente para me sentir preparada. Fui convencida a me inscrever e desde então a minha vida mudou bastante. Sempre fomos muito bem tratados aqui na Vila Isabel e nos sentimos na obrigação de retribuir. A ficha ainda não caiu pra mim. Acho que isso só vai acontecer no dia do ensaio técnico na Sapucaí. O fato de a diretoria apostar na gente é muito importante para o nosso amadurecimento profissional. Defender o pavilhão da Vila Isabel é uma grande honra e uma imensa responsabilidade – completa Natália.

A responsabilidade é maior ainda quando se pega o recente histórico da Unidos de Vila Isabel no quesito. Julinho e Rute Alves fizeram história e conquistaram um título, além de muitos prêmios com a bandeira azul e branca. E no último desfile, os também consagrados Marquinhos e Giovanna defenderam o pavilhão da agremiação. Diego reconhece o cenário, mas prega a importância de se apostar no talento de quem é identificado com a escola.

- É importante que a prata da casa seja valorizada. Eu pretendo não sair da Vila tão cedo e estou muito feliz com a oportunidade. Estamos nos preparando com muita dedicação. Estamos trabalhando mais a limpeza da movimentação, postura, essa coisa mais corporal. A partir da escolha do samba vamos intensificar os ensaios e criar a coreografia. Hoje eu faço musculação e a Natália faz pilates. Além disso, ensaiamos duas vezes por semana – detalha ele.

Hoje na Unidos da Tijuca, Rute e Julinho são as referências para o jovem primeiro casal da Unidos de Vila Isabel. Em 2013, na Tradição, no primeiro ano em que foram julgados juntos, tiveram muitos problemas com a fantasia, que chegou momentos de a escola entrar na Avenida. A presença dos profissionais foi de suma importância para que pudessem desfilar e aprender a superar as adversidades.

Maria Celeste Lima

Para conseguir a nota almejada em 2015, Diego e Natália contam com o auxílio luxuoso de Maria Celeste Lima como ensaiadora. Ex-bailarina do Theatro Municipal, ela recebeu rasgados elogios da dupla. De acordo com ambos, o trabalho com a profissional em nada agride a essência da característica da dança do mestre-sala e porta-bandeira.

- Ela é uma pessoa maravilhosa. Nós a conhecemos ano passado e a convivência com ela tem acrescentado bastante no trabalho. A gente briga, mas se entende (risos). Isso acontece em qualquer relacionamento, mas ela ajuda no nosso crescimento pessoal, não só na dança. Trabalhamos bastante a expressão corporal. Ela não muda a nossa característica de dança, isso é sensacional – afirma Diego.

- Além de ter sido bailarina e ensaiadora do Theatro Municipal durante muitos anos, ela dá vários toques para inserir o balé clássico na minha dança. É uma dança que já fiz há alguns anos e tenho certeza que isso pode acrescentar bastante. Soma bastante, molda a nossa dança e deixa a gente participar de tudo. Toda a movimentação que envolve a dança de mestre-sala e porta-bandeira está sendo trabalhada junto com a Maria Celeste Lima – explica Natália.

Em 2015, o talento de Diego Machado e Natália Pereira poderá ser conferido de perto quando a Unidos de Vila Isabel entrar na Avenida. A azul e branca do bairro de Noel será a quarta escola a pisar na Marquês de Sapucaí no domingo de carnaval.

Sobre Portal do Samba

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.